Danças Árabes

5 Coisas que Você Precisa Saber sobre Dabke Libanês

Se tem uma dança árabe folclórica muito apreciada pelos bailarinos e bailarinas do Brasil é o Dabke. O Dabke como você já deve saber é uma dança bastante popular no Oriente Médio e é executada em várias regiões, mas você sabia que em cada região dança-se de um modo diferente?

Sim, e embora em todas as regiões a base dessa dança seja o famoso bate o pé, cada uma tem suas particularidades seja nos movimentos, na maneira de se vestir e até mesmo nas músicas a serem dançadas e etc.

Logo, na Síria dança-se de um jeito, na Palestina de outro e assim por diante, mas hoje você vai saber mais sobre o Dabke Libanês ou Dabke Libanesa com a bailarina, pesquisadora e coreografa Brigitte Bacha que bate o pé no Dabke há mais de 30 anos ensinando e divulgando as danças árabes no Brasil.

Além disso, Brigitte Bacha é libanesa nascida no Líbano mesmo, e sua companhia de dança é a única no Brasil reconhecida pelo governo do Líbano como divulgadora dessa cultura.

Então pode confiar que a fonte é das melhores. Vamos lá!

  • 1 Dabke Libanês pode ser dançado por homens e mulheres

Embora em tempos mais antigos o Dabke fosse uma dança preferencialmente masculina não era proibida para as mulheres.  Existe inclusive danças de dabke realizadas só por mulheres, mas é interessante citar que a presença feminina começou a se tornar mais intensa mesmo depois de um processo de resgate da identidade da dabke libanesa na década de 50 e 60.

O fato é que na atualidade o Dabke Libanês pode ser dançado só por homens, ou só por mulheres ou por ambos, dependendo da tradição local e da proposta coreográfica quando o assunto é palco.

  • 2 O figurino correto para dançar Dabke Libanês deve representar o contexto da música

Nos palcos e shows você pode usar bastante brilho e enfeites no figurino para agregar um caráter mais luxuoso ao visual.

Agora, se você deseja executar uma performance de teor tradicional pode apostar em uma pegada mais simplista com modelos de roupas que evidenciem o tradicional dabke popular libanês dançado em tempos antigos.

Todavia, não pense que é pecado as vezes dançar com um brilho ou outro quando a vertente for tradicional, tudo vai depender do que você vai estar representando se, for uma festividade ou celebração como casamento por exemplo, até pode ter um brilho, mas em todo caso é sempre bom pesquisar.

Ainda sobre figurinos um detalhe importante que precisamos estar atentos é que este deve representar o contexto da música e estar em harmonia com o que a canção está transmitindo.

Isso porque se trata de um tipo de dança que representa as manifestações e comemorações populares, assim, o ideal é que as vestimentas estejam de acordo com a ocasião.

Como por exemplo, se a música fala de colheita o figurino deve remeter aos camponeses, se falar de casamento, as roupas podem ser mais voluptuosas e coloridas, por isso é muito importante que faça uma pesquisa sobre o que a música propõe para usar o figurino mais adequado.

Figurino Masculino para Dançar Dabke Libanês

Normalmente, Os homens usam uma calça chamada “Sheruel”, ou seja, Saruel típico, uma camisa simples, com um colete, uma faixa na cintura ou uma “galabye” (túnica) que é aberta na frente, e às vezes a sua ponta pode ser puxada e presa na faixa.

Suas cabeças podem ser cobertas com um turbante simples ou turbantes de vários formatos, uma “Kafya” que pode ser branca, ou vermelha e branca, ou ainda, preta e branca, amarrada com uma corda preta chamada “ÀAGAL”, também podendo usar um chapéu vermelho, que é muito comum, chamado o “Tarbuche”.

Figurino Feminino para Dançar Dabke Libanês

As mulheres usam normalmente um vestido que pode ter o caimento reto ou mesmo mais rodado, uma “Abeye” ou túnica.

Estes vestidos podem ser coloridos com bordados delicados, as túnicas também podem ser curtas e usadas com uma calça “saruel” menos farta que a dos homens.

Na cintura usa-se comumente uma faixa ou coletes mais curtos. Na cabeça usa-se véus amarrados, turbantes, ou tiaras com bordados variados podendo inclusive conter moedas. Nos pés um sapato de salto baixo ou até mesmo sapatilhas.

  • 3 Existem Diferentes Estilos de Dabke dentro do Líbano

A dabke libanesa tem suas características e individualidade da mesma forma que a Palestina, a Síria e a Jordânia, mas devemos lembrar que essa região antes da 1º guerra era considerada uma terra única chamada de “Grande Síria”, ou “terras de Damasco” ou as “terras do levante”, então a essência da dabke é uma só.

Mas essa essência é retratada de diferentes formas de uma localidade para outra , seja no ritmo desenvolvido, na velocidade, na forma de bater o pé, na força estabelecida, no jeito de pular e de mancar, na maneira de segurar as mãos e movimentar os braços e muitas outras formas de dançar.

No Líbano das montanhas por exemplo, o dabke é mais forte com intenção da força para a terra, é como se tivesse afirmando esse solo é meu.

Já no deserto a dabke libanesa é mais saltitada, mais aérea devido ao calor do solo, diferenças como essas ditam o estilo da dabke do Líbano, e também tem os estilos regionais como por exemplo: Dabke Shmalya (norte), Dabke Baalbakye (Baalbek), dabket el Dalaouna e muitas outras nomenclaturas.

 

  • 4- No Dabke Libanês Tradicional sempre se caminha da esquerda para a direita no sentido anti-horário.

Vimos anteriormente que os estilos se diversificam dependendo da localidade dentro do Líbano, mas existem algumas regrinhas básicas que vale para quase todos, como por exemplo:

No dabke tradicional nunca nuca se dança na roda no sentido horário, sempre se caminha da esquerda para a direita no sentindo anti-horário. Quanto a forma os desenhos da fila podem ser em linha reta ou meia lua.

Já no dabke moderno essa meia lua pode se fragmentar, virar várias linhas, ter desenhos coreográficos, em retas paralelas, diagonais, círculo e semicírculos.

Agora no dabke contemporâneo, a linha explode para todas as formas, inclusive as filas muitas vezes podem sumir, viram solos e depois voltam a formar.

Outra coisa que você não pode esquecer é que quem está aprendendo, ou não tem o domínio total da dinâmica envolvida, não deve ficar na ponta. Existe um líder chamado “Ras el Dabke”, cabeça da Dabke, é ele que determina o ritmo e o tipo de passos, então é ele que conduz o ritmo e a dança da fila.

Agora para bailarinos tem-se também umas regrinhas de autocuidado. Dançar Dabke exige um certo preparo físico e atenção com as articulações, nunca comece a dançar sem um bom aquecimento, alongamento e preferencialmente de tênis que absorve o impacto.

  • 5 Da mesma forma que não existe Said libanês não existe dabke egípcio, portanto nunca use músicas egípcias

Para diminuir as margens de erros culturais na hora de escolher a música, a dica é saber em primeiro lugar se é libanesa, de que região pertence e a que circunstância a letra se refere.

Outra boa dica é prestar atenção se a música é tradicional, moderna ou contemporânea.

As músicas tradicionais libanesas são aquelas mais antigas de domínio público (por exemplo a Dalaouna), que tem uma influência muito grande da música beduína.

Essas músicas muito antigas e que resistem ao tempo e a modernidades, são as mais usadas nas rodas de dabke de improviso.

Já as músicas de dabke com uma temporalidade mais recente e por assim dizer modernas correspondem a década de 50 e 60.

Os principais interpretes dessas músicas mais modernas são Fairouz, Sabah, Nasre Shams Edin, Wadih esafi. Suas composições geralmente abordam temas do cotidiano dessa época e são dançadas de forma mais organizada em demonstrações artísticas e em palcos.

Já no dabke contemporâneo é comum ver-se muito o uso de músicas atuais, como por exemplo, músicas de Najwa karam, Assi el Halani, Fares Karam e outros, neste estilo de dabke existe uma liberdade de fusões mas que ainda assim precisam ser pesquisadas para ser o mais coerente possível culturalmente.

E tem mais um detalhe, da mesma forma que não existe Said libanês não existe dabke egípcio, portanto nunca use músicas egípcias. E mais uma vez, lembre-se sempre de pesquisar as origens regionais de suas músicas.

 

Viu só minha amiga belly linda como existe muita coisa envolvida em uma roda de Dabke?

A Brigitte Bacha quase explode o meu cérebro com tantas informações curiosas, e olha que aqui para o post ela tentou resumir ao máximo.

Assim, o que você viu aqui nessa postagem é apenas uma síntese para servir de informações básicas em seus estudos e pesquisas.

E se você deseja aprender mais sobre a Dabke Libanesa, quer montar uma coreografia para sua escola ou simplesmente fazer uma apresentação solo para competições entre em contato com a Brigitte Bacha.

A Brigitte, oferece consultoria cultural e artística para sua performance, traduções de músicas e até mesmo cursos e workshops para todo o Brasil.

Para conhecer  o trabalho dela e sua credibilidade no meio acesse o site oficial www.brigittebacha.com.br

Por hoje vamos ficando por aqui, até a próxima belly aventura…

Contato da Brigitte nas redes sociais- FacebookInstagram