Inspire-se

Quando até o básico pode ser surpreendente

Inspire-se no post de hoje com os encantos da bailarina de dança do ventre Layal, uma artista que nos mostra que até o básico pode ser surpreendente.

Eu a encontrei um dia desses quando estava a procura de referências para estudos de suavidade e gestos delicados, coisa que passa bem longe de minha personalidade como já vimos aqui nesse post anterior.

E durante a caçada de performances com sequências simples para estudar que pudessem facilitar minha vida, eis que a Layal uma linda bailarina de Montreal no Canadá se destacou e conquistou meu coração💛.

Fiquei entusiasmada com as performances maravilhosas dessa moça campeã em inúmeras competições em seu país, e agora, na minha seleção de referências também😊.

Logo,o talento de Layal me fez refletir sobre muitas coisas na dança, deixando cada vez mais claro e evidente que o simples pode ser encantador quando bem usado.

Assim, o que vi nessa majestosa bailarina foi o charme imponente da simplicidade em um oásis de criatividade no uso dos elementos básicos da milenar arte belly dance.

Sim, essa dançarina, com certeza, é uma daquelas que conseguem fazer muito com pouco,  sem precisar se matar nas complexidades para chamar nossa atenção.

Se eu fosse definir o estilo performático dela, eu diria que ela dança com um pé átras, ou seja, com fortes características técnicas do passado provando que, em se tratando de belly dance, o tradicional pode ser atemporal e surpreender em qualquer época.

Nesse sentido, quando assisto as performances dela, sinto como se ela não tivesse se rendido totalmente a modernidade técnica da arte no contexto atual onde bate cabelos, postura altamente alongadas e classudas, assim como  articulações robotizadas meio que imperam.

Não que ela não faça uso destes elementos digamos que atuais, e que eu também adoro, mas pelo que percebi ela  usa como complemento e em momentos cruciais evidenciando mais as características técnicas de décadas anteriores.

Talvez por isso, ela tenha me lembrado um pouco a bailarina Aliah Mohamed, que citei nesse post aqui uma vez.

 

O fato é que fiquei apaixonada por todo conjunto de coisas maravilhosas que ela nos apresenta no palco, eu poderia passar horas aqui detalhando um por um para você.

Como por exemplo, a forma expressiva dela de brincar com as nuances da feminilidade, se fazendo notar com sua presença de palco sedutora, adornada de gestos hipnotizantes, delicados e ao mesmo tempo impactante e sem apelações.

Ah, e com o véu  então,  ela é uma menina travessa desprendida no ar, brinca e se deixa levar fazendo truques, manobras e transpasses que fazem a gente suspirar com tanta destreza.

Sem contar que quando ela resolve fazer aquelas performances bem enigmáticas, lentas e misteriosas  com foco nos movimentos de chão  a gente vai se enfeitiçando com tamanha sutileza.

E assim, como se fosse magia ficamos ali atentos a cada movimento, com o coração ansioso pelo que virá. (Veja um exemplo dessa mágica clicando aqui).

Enfim, é uma dançarina linda, graciosa e muito criativa que eu adoraria ter a oportunidade de assistir ao vivo. Certamente vale a pena acompanhar e anotar o nome Layal em seu caderno de estudos, principalmente se você se identifica com o estilo dela.

Eu super me identifiquei com muitos detalhes e pode ter certeza que sempre vou dar uma olhadinha, afinal, talentos dessa magnitude podem  ser uma inspiração e tanto, não é mesmo?

Bom, vou ficando por aqui, até a próxima belly aventura, e não vá me deixar no belly vácuo😜, comenta aqui no blog o que você achou de mais interessante na Layal que eu também quero saber, ok? Agora, espia só uma das performances da nossa inspiração de hoje.

Leave a reply