Aprenda a dançar

Como começar a Dançar Derbake

Como começar a Dançar Derbake

Mais que uma modalidade batizada com o nome do principal instrumento musical que a determina, o Derbake é um misterioso e encantador universo percussivo que guarda em si uma imensidão de segredos que só se revelam aos corações persistentemente estudiosos e atentos aos detalhes.

E como sei que muitos corações belly bailantes têm como meta para 2018 começar a dançar Derbake, resolvi compartilhar um pouco da minha experiência, afinal, aprender dançar um solo de Derbake foi minha principal meta de 2017.

E mesmo que minha dança nessa modalidade ainda não esteja aquela perfeição toda, cheguei em 2018  bastante feliz com os resultados alcançados até aqui.

Assim, vou te contar as 4 estratégias iniciais de estudos que aprendi, e que foram fundamentais para eu começar a entender e a  evoluir na modalidade Derbake.

E claro, que eu não poderia deixar de convidar para me ajudar nessa missão a minha principal referência nesse tema, a bailarina Adriana Amazonas, que foi imprescindível no meu aprendizado .

A Adriana me deu várias dicas, me auxiliou em muitos momentos, e me presentou com seu DVD didático, uma ferramenta que super me ajudou e que deixo de dica pra você que estuda em casa como eu, (clique aqui para conhecer).

Então vamos lá,que aqui você vai saber mais sobre:

 

  • Como se Familiarizar com a modalidade Derbake pode facilitar seus estudos
  •  Como Simplificar os treinos de Derbake
  •  Quais músicas escolher para começar treinar Derbake
  • Importância da Dissociação entre Membros Inferiores e Superiores no Derbake.

 

Como se Familiarizar com a Modalidade Derbake pode Facilitar seus Estudos

Antes de colocar o corpo em ação se jogando de vez nos treinos, é interessante que você estabeleça outros tipos de contato com a modalidade para assim ir criando afinidade intelectual, auditiva e emocional.

Dessa forma, faça anteriormente um imersão na modalidade procurando ler sobre o assunto, assistir diferentes performances de bailarinas e músicos, procure também, ouvir muitos solos de percussão, estando atenta aos detalhes e a toda dinâmica envolvida nas apresentações e nas músicas.

Sugiro isto porque acredito, que quanto mais a gente se informa a respeito, assiste performances e ouve as músicas de determinado estilo, mais imprimimos em nosso subconsciente suas características e especificidades.

Assim, nos tornamos familiarizados com muitos dos elementos envolvidos na modalidade o que enriquece nossa percepção facilitando o processo de aprendizagem e aplicação dos movimentos.

 

Como Simplificar os Treinos de Derbake

Como você já deve saber, são inúmeras as possibilidades de movimentos, sequências e deslocamentos que podem ser aplicados nessa modalidade, então o que sugiro para você que vai iniciar seus treinos agora é: SIMPLIFIQUE!

E uma das melhores maneiras de simplificar para entender as coisas de um jeito mais simples, é usar de movimentos básicos guiando-se inicialmente pelas escalas de movimentos secos e reverberados  (Veja Aqui o que é a Escala de Movimentos).

Assim, selecione no máximo 2 movimentos básicos de sua preferência para treinar,  e acrescente também um encaixe  de quadril . No meu caso, escolhi os movimentos exemplificados abaixo:

Dessa forma eu comecei com um total de três movimentos de quadril relativamente simples:

  • Encaixe e Desencaixe Básico
  • Batidas Laterais
  • Shimmie Básico.

Estes três movimentos  me forneceram inúmeras possibilidades parar treinos e combinações. Acredite, com apenas três movimentos  você faz muita coisa, além de desvendar um vasto universo de possibilidades.

Também sugiro que,  no começo você treine sem deslocamentos, e demais posicionamentos de braços. use apenas a posição básica da Dança do ventre, executando os movimentos sozinhos para depois combina-los entre si.

Com os movimentos escolhidos, agora você vai aplica-los em músicas percussivas.

Quais Músicas Escolher para Começar Treinar Derbake

Como a ordem para quem ta iniciando é simplificar para dominar, o ideal é que você treine utilizando não músicas completas, mas trechos delas, ou então,ritmos árabes isolados.

Estudar  por trechos ou ritmos isolados além de ser mais simples, te ajuda a treinar focalizando em determinando movimento e sequência, sem contar que deixa seu ouvido apurado ampliando sua capacidade de diferenciar esses ritmos e reconhecer quais movimentos se aplicam melhor  a eles.

Eu por exemplo, comecei treinando a combinação dos três movimentos acima com o ritmo Masmoudi que achei nesse vídeo aqui . Depois disso eu passei a treinar esses mesmos movimentos com o Ritmo Baladi (esse aqui) e assim fui aplicando em outros e mais outros, para ver no que ia dar.

Com o tempo, a medida é que fui dominando minha locomoção, fui selecionando e inserido mais movimentos e mais ritmos diferentes vendo o que combinava com o que, e quando dei por mim eu já tinha um bom repertório para dançar uma música completa.

 

Ainda referente a música a Adriana Amazonas me deu as seguintes dicas, veja só:

Indicações de Músicos Via Adriana Amazonas

Músicos estrangeiros, recomendo o estudo de:

Emad Sayyah, Sayed Balahah, Hossam Ramzy, Gamal Goma, Setrak Sarkissian, Osvaldo Brandan, Brian Brandan, Matias Hazrum, Issam Houshan e Artem Uzunov.

Quanto aos profissionais brasileiros, destaco o grande apreço que tenho por estudar as músicas de:

George Mouzayek, Pierre Salloum, Pedro Françolin e Bruno Braga.

 

 

Importância da Dissociação entre Membros Inferiores e Superiores no Derbake.

A gente tem mania de focar no quadril e esquecer do tronco, eu pelo menos esquecia,e quem me chamou atenção nisso foi a Adriana Amazonas, que me fez perceber que sem usar os superiores eu estava   limitando meu repertório de movimentos e possibilidades.

Então, o ideal é que da mesma maneira que você selecionou movimentos para o quadril, selecione  também  para os membros superiores, assim, você tem uma percepção melhor para combinar.

Dessa forma, sugiro que nos treinos iniciais de superiores você escolha os movimentos similares aos dos inferiores, ou seja o  que você faz com a parte de baixo faça também com a de cima😁.

Neste caso, treinei inicialmente, o shimmie , slide lateral e encaixe desencaixe torácico.

E para a beleza fluente de todo esse conjunto de coisas que você vai treinar, o isolamento e dissociação devem ter atenção especial da sua parte, afinal, isolamento e  dissociação são palavras chaves para movimentos limpos na Dança do Ventre.

Logo, você precisar estar atenta a sua capacidade de isolar movimentos principalmente nessa modalidade que evidencia bastante as marcações nos movimentos.

E você pode começar seu treino de dissociação aprendendo a isolar membros superiores dos inferiores com  um treino que me ajudou muito, que foi o de Slide Lateral (Saiba mais clicando aqui).

Treinar slide lateral me fez entender de fato o eixo de separação da parte de cima e de baixo facilitando também  meu entendimento para combina-los entre si, além de me proporcionar um locomoção mais consciente.

Outra dica legal, que me ajudou muito,  foi   treinar com as sequência do DVD da Adriana sobre combinações de quadril e tronco que entrou nos meus estudos  e montagens coreográficas  como um poderoso auxiliar, e digo de todo coração sem interesse comercial nennhum, se você puder ter essa ferramenta,  vai valer a pena.

Bom,  vou ficando por aqui já adiantando que tem muito mais coisas, esse é só um esquenta para os próximos posts e treinos do tema. Desde já  agradeço  a colaboração da minha referência pessoal nessa modalidade, Adriana Amazonas, não só pela contribuição com o post, mas com a minha dança também.

Abraços a todos e até a nossa próxima belly aventura.

Leave a reply