Gestão escolar

Crianças na Dança do Ventre, Pode ou não Pode?

Salam habibes e habibas! Crianças na Dança do Ventre é um tema que sempre gera uma enxurrada de duvidas que lotam nossa caixa de e-mail  principalmente quando postamos na página Bellymaníacas  videos de dança infantil,.

Por esse motivo, nossa amiga Rebeca Sasaki  que considero  uma autoridade em didática de Dança do Ventre  para crianças vem responder algumas  questões  que rondam esse universo mágico   que é a arte belly dance infantil.

A Rebeca é   natural de Londrina-PR e já dança a mais de 17 anos, atualmente ministra aulas de dança do ventre na cidade de Astorga-PR há 06 anos.

É formada em Serviço Social pela Universidade Estadual de Londrina-PR, e Especialista em Planejamento Estratégico e Gestão de Programas e Projetos Sociais além de ser criadora do curso “Técnicas lúdicas e educativas para aulas de dança do ventre infantil”.

 BM- Criança pode fazer Dança do Ventre?

Rebeca- Sou uma prova viva  de que não só pode, como deve! Se todos soubessem os benefícios desta arte às pequenas, todas as mães matriculariam suas filhas. Iniciei na Dança do Ventre ainda na infância, aos 08 anos de idade, como bolsista, pois minha mãe não podia pagar pelas aulas e também não sabia do que se tratava na época a tal dança.

Meu coração se enche de certeza ao afirmar  que a dança do ventre salvou a minha vida! Tive uma infância difícil, emocionalmente falando, minha mãe foi mãe e pai ao mesmo tempo, e sofreu a vida toda com uma depressão severa, tanto que há três anos minha mãe faleceu devido a essa doença, muitas vezes incompreendida.

dsdsfdfdf

BM- A Dança do Ventre estimula a sensualidade nas crianças?

Rebeca- Não, na verdade isso é um mito vindo do status de sedução e sexualidade conferido a dança que pode ou não ser aplicado em aulas, geralmente aulas de dança do ventre não enfatizam esses atributos na didática, muito menos em classes infantis, por esse motivo quanto mais preparação o profissional que lida com crianças tiver mais vai fazer usos de ferramentas que correspondam a idade e fases de suas alunas.

BM- A partir de qual idade a criança pode praticar a Dança do Ventre?

Rebeca- A partir dos 03 anos. Em minha escola, as turmas são divididas em 03 a 05 anos, 06 a 10 anos e 11 a 12 anos. Não misturo as três idades, pois cada uma exige uma metodologia específica e uma atenção diferenciada.

BM- Quais os benefícios para crianças que praticam Dança do Ventre?

Rebeca- A dança do ventre para as crianças é um mundo repleto de possibilidades capaz de  estimular a coordenação motora, o raciocínio, a criatividade, a autoestima e confiança, a musicalização, a sensibilidade, a socialização além de ampliar a consciência corporal como um todo, gera saúde, bem estar e felicidade!

Em uma reflexão pessoal e mais aprofundada, o maior benefício da dança do ventre para mim é a possibilidade da dança se tornar uma grande ferramenta na transformação da vida das crianças, quando bem canalizada, torna-se um estilo de vida e certamente a criança levará todos os benefícios dessas vivências para o resto de sua vida.

BM- A didática aplicada no ensino de crianças é a mesma aplicada para os adultos?

Rebeca- Não, é uma didática totalmente adaptada. Utilizo uma didática exclusiva, inspirada em técnicas da psicopedagogia, adaptadas por mim à dança do ventre, fruto das experiências profissionais que tive como Assistente Social e em contato com a atuação profissional de uma psicóloga e uma psicopedagoga.

A aula de dança é conduzida de forma lúdica e educativa, com técnicas, dinâmicas e brincadeiras, cada aula é para as crianças uma festa, isso torna tudo divertido e leve, e ajuda a libertar a criatividade e a expressão corporal, com ótimos resultados. As mães acompanham tudo e aprovam o método, esse é o segredo do grande sucesso em minha cidade.

 BM- Crianças podem frequentar as mesmas aulas que adultos?

Rebeca- Não. Confesso que no início da minha carreira eu unia em uma mesma turma crianças e adultas. Contudo, não foram experiência boas, as mulheres precisam de uma atenção diferenciada, um momento exclusivo, que aflore sua feminilidade, e exigem cada vez mais técnicas apuradas. Já as crianças possuem outras necessidades, para elas é preciso criar um ambiente mágico, com muita diversão e brincadeiras, com muita atenção, carinho e amor. Tudo mudou quando decidi me especializar em cada público, tudo passou a  fluir melhor.

BM- Existe a necessidade de preparação dos professores na didática infantil ? Quais os Motivos?

Rebeca- Sim! Em se tratando de ensino para crianças ter conhecimento e domínio das  danças árabes embora seja importante não é suficiente, afinal, estamos lidando com outro tipo físico e psicológico que requer atenção e cuidados específicos sendo assim não é uma atividade para   qualquer um, é pra quem tem paciência e muito amor para lidar com as pequenas, em resumo,  tem que haver um certo preparo .

Lecionar para crianças é bem  mais que uma compra e venda de aula, é uma missão na transformação na vida dessas pequenas grandes dançarinas. A professora de dança do ventre tem aí  uma grande responsabilidade, pois, as crianças a terão como referência e inevitavelmente   irão se inspirar nela, e todos os seus ensinamentos marcarão para sempre as suas vidas, já que crianças são pessoas em processo de desenvolvimento.

BM- Quais os principais desafios em ensinar DV para crianças?

Rebeca- Os desafios podem ser simples ou complexos, e aparecem a cada aula. Como Assistente Social já estava acostumada a atuar com situações desafiadoras, e na dança do ventre não é diferente. O desafio pode ser apenas um problema de comportamento inadequado, ou até mesmo problemas sociais ou psicológicos um pouco mais sérios.

Muitas vezes é na  sala de aula que a criança se sente segura em conversar sobre seus problemas e sentimentos, principalmente se estabelecer um elo de confiança com sua professora. Por isso é necessário  que a professora converse a todo momento que surgir uma oportunidade, utilize seu feeling para notar situações que permitem um diálogo sobre situações educativas como cidadania, amizade, cuidados com o corpo, respeito, bons modos, valores humanos, regras de comportamento na aula de dança, na escola e em casa, etc.

É preciso estar atenta a qualquer sinal de tristeza, rebeldia, ou mudança de humor. Em uma postura atenta e cuidadosa, é possível perceber os mais diversos sentimentos, e é preciso comunicar os pais com sabedoria sobre as situações, pois podem ser sinais de questões graves que estão acontecendo na vida das crianças.

BM- Você oferece cursos para professores e escolas que desejam se profissionalizar e ofertar didáticas diferenciadas no ensino da DV para crianças. O que te levou a criar esse tipo de curso?

Rebeca- O que me moveu a a criar este curso foi o desejo de compartilhar minha experiência com a  Dança do Ventre Infantil com outras professoras que ao conhecerem meu trabalho por meio das redes sociais sempre entravam em contato pedindo ajudas e dicas , pois, muitas ainda sentiam a necessidade de um melhor  preparo  ou  sonhavam em trabalhar com as pequenas e gostariam de se capacitar para essa função.

Indo nessa direção  já capacitei várias professoras do Brasil  com o curso “Técnicas lúdicas e educativas para aulas de dança do ventre infantil”.  A princípio é um curso online, com livro e orientações exclusivas, com acompanhamento desde a divulgação, formação da turma, e condução permanente das aulas, com todas as técnicas, dinâmicas e brincadeiras que utilizo em sala de aula.

——–> Para saber mais sobre o Curso Clique Aqui

Agradecimentos : Muito obrigada Rebeca pela atenciosidade, carinho e colaboração aqui com o blog Bellymaníacas, que você continue esse trabalho primoroso, lindo e cheio de amor com suas pequenas dançarinas. Que seus conhecimentos possam ajudar outras colegas professoras nesse caminha lindo que é  de formar não só  futuras dançarinas no Brasil mas também uma geração de mulheres com o coração transformado positivamente por todos os benefícios que essa arte pode proporcionar.

Contatos de Rebeca Sasaki

www.ciarebecasasaki.com

[email protected]

Facebook- Dança do Ventre Infantil 

Créditos:

Edição e arte- Aziza Zayn

Fotografia no Topo- Julia Larsen