Aprenda a dançar

Você sabe Desenhar e Escrever com o Quadril?

Quando dançamos nosso corpo desenha formas no ar, escreve e descreve nossas emoções em combinações mágicas de movimentos que desafiam nossas habilidades.

Assim, o formato, a aparência ou como dizem os profissionais, “a estética de sua dança” vai depender e muito da sua capacidade de desenhar e escrever de forma legível e limpa com o seu corpo.

E da mesma maneira que acontece quando aprendemos a escrever com as mãos, esse processo exige treino, paciência e persistência para que se torne algo natural.

Você se lembra quando começou a aprender escrever?

Certamente dependendo da metodologia da sua professora, você começou a aprender cada letra do alfabeto,uma por vez até reconhe-las por completo.

Descobriu que estas letras produzem determinado som, que existe a classe de maiúsculas e minúsculas e que as que possuem acento tem um som diferente.

E mais, você descobriu posteriormente que a combinação entre as letrinhas formam sílabas e que estas silabas podem originar infinitas palavras ampliando consideravelmente seu vocabulário.

O mesmo ocorre na dança do ventre, você conhece os movimentos de um por um, depois passa a estabelecer combinações, e vai percebendo que cada movimento tem seu tom, tem seus acentos e pontuações se encaixando em um determinado  tempo e teor musical.

Perceba ainda que, para se tornar um expert  na arte de escrever a mão você precisará treinar bastante,  habilitando sua coordenação para que as letras e palavras sejam ilustradas no papel de forma legível e se possível bonitas, e para isso, existe a caligrafia.

Já na dança, nós temos a coreografia, e tal como no treino de caligrafia o ideal é que você tenha um foco  principalmente se for iniciante para que assim, por meio de repetições consiga ficar fera em cada letrinha e combinação silábica.

Lembre-se, que na caligrafia você não sai escrevendo textões, você vai repetindo letras imitando formas pre- determinadas e depois estabelecendo combinações.

Estas combinações devem formar palavras, onde as letrinhas são emendadas perfeitamente uma na outra no caso de sequência minuscula. Veja o exemplo de exercício de caligrafia abaixo:

Foi por isso que eu sugeri pra você aqui no blog,  o Treino de Coreografia Focal. Então, não deixe de ler porque vai ajudar muito em seus treinos.

Quer saber de mais um detalhe interessante? Escrever e desenhar são ações extremamente dotadas de subjetividade, sendo capazes de externar nossa personalidade e essência.

Mas, para que isso venha a tona é preciso primeiro aprender indo para sala de aula, mesmo que você tenha um dom nato.

A escola e seus professores vão te ajudar a descobrir, reconhecer e lapidar seu estilo próprio.

E nesse percurso, você vai fazer longas e longas cópias, ler muitos e muitos textos até se enriquecer de conhecimento a ponto de não só interpretar o que lê, mas também escrever seus próprios livros.

Aprender a dança do ventre, é isso, é como aprender a escrever, ainda que a professora te ensine o alfabeto e segure na sua mão nos primeiros traços, e você copie incansavelmente o jeito dela de fazer, lá na frente  quando você dominar as técnicas  a sua letra não será igual a dela.

Isso porque, sua letra e a forma como você escreve vão se formando nesse processo de domínio e aprendizado implantando aos poucos sua essência e personalidade.

Com o passar do tempo, em meio a treinos e prática sua maneira de desenhar os movimentos com o corpo vão  adquirindo segurança, assertividade, farão parte de quem você é dentro da  sua própria identidade. Sua dança terá  uma assinatura ÚNICA, a sua!

Logíco que nos primeiros treinos vai ser aquele garrancho, uns desenhos bem abstratos e cada letrinha sairá com um esforço inigualável no mais alto estilo primeiro a bolinha e depois a perninha.

Capaz até, de você pegar uns puxões de orelha mais ou menos assim:  DEIXA DE PREGUIÇA, ESCREVE DIREITO MENINA, APAGA E FAZ TUDO DE NOVO!

Como se já não bastasse, você vai ter que conseguir emendar uma letra na outra, então, vai ser um Deus nos acuda, mas você vai superar,basta persistir.

Logo, escrever e desenhar se tornarão um processo natural e extremamente prazeroso, e assim é também na dança nossa de cada dia, onde correções, cópias, e muitos treinos  são  fundamentais para conquistarmos a excelência e nossa própria maneira de dançar.

 Desenhando e Escrevendo possibilidade de Personalização de Movimentos

Escrever vai além das formas de letras tradicionais já conhecidas, o “R” por exemplo pode  TER INÚMERAS VARIAÇÕES sem deixar deixar de perder seu sentido.

Deassa maneira, o  “R”pode ser escrito em outra fonte, desenhado de outra forma e sempre vai se ler “R”. Assim também acontece com os movimentos tradicionais da dança onde o infinito pode ser desenhado de diferentes ângulos, tamanhos e velocidades pelo seu quadril.

Mas, não se engane achando que nosso quadril pode desenhar apenas formas geométricas, você já tentou escrever seu nome com o quadril formando letras maiúsculas e minúsculas? Já tentou escrever números? É muito divertido!

Escrever com seu quadril  é uma brincadeira bem interessante para soltar os movimentos e desvendar novas possibilidade.

Assim,brinque e experimente, é daí que surgem novas fontes e diferentes maneiras de escrever a mesma letra e de dançar os mesmos movimentos.

Mas, lembre-se: TEM QUE SER LEGÍVEL.

Ah! E para apagar o movimento eu uso o shimmie que  chamo carinhosamente de borrachinha. E se você quiser apagar com estilo é só usar a borrachinha seguindo a  forma do desenho ou letra que esta sendo apagada.

Bom, vou ficando por aqui, agradecendo de coração a belly linda Monique Vescovi (foto no topo) pelo incentivo ao post. Espero você nas nossas próximas belly aventuras. Até lá!

 

1 comment

Leave a reply