Inspire-se

Era de Ouro da Dança do Ventre uma Viagem no Tempo

Compartilhe
Share on Facebook2.1kShare on Google+1Pin on Pinterest13Tweet about this on Twitter0

Salam Habibes e Habibas! Hoje nosso tapete mágico fará uma breve viagem retrocedendo algumas décadas em um delicioso passeio aos encantos  da famosa era de ouro da Dança do Ventre.

Não sabe o que é a Era de Ouro da Dança do Ventre? Então, mais um motivo para você viajar com a gente até o fim deste post, afinal, é fundamental tanto para quem está começando como para quem já é veterano,  conhecer, apreciar e estudar  os primórdios artísticos da arte belly dance

É como um velho  provérbio chinês costuma dizer:

“Para entender o presente é necessário voltar os olhos ao passado”

Então vamos lá!!!

Conhecida mundialmente como Golden Age a Era de Ouro da Dança do Ventre   corresponde as décadas de 30, 40,50,60, 70,80 e 90. Estas épocas foram marcantes na história da Dança do Ventre ao redor do mundo servindo de importantes referências para a compreensão  da evolução da nossa arte.

E nada melhor que conhecermos um pouco  das bailarinas que com suas histórias  nos contam  não só como era praticada a Dança do Ventre em suas épocas, mas também como elas transformaram a dança e se transformaram por meio dela.

Mas antes disso, deixa eu te contar sobre quando soube dessas dançarinas pela primeira vez.

Quando Voltei no Tempo pela Primeira Vez

Quando assisti videos dessas dançarinas pela primeira vez, a impressão que tive era que grande parte delas seguiam combinações de movimentos em uma linha técnica bastante simplista perto do que eu estava acostumada a ver.

Lembro-me inclusive de ter pensado: Se isso é dança do Ventre, então, eu já sou profissional!

Mas, depois de estudar mais a fundo  algumas delas percebi o quanto eu estava sendo soberba ao achar que o que temos hoje em dança do ventre é superior ao repertório Goldem Age em técnica e grau de dificuldade.

Embora eu sentisse que os movimentos corporais nessas fases não enfatizassem  tanto o isolamento corpóreo, os grandes deslocamentos  e muito menos o bate cabelo e aquela postura classuda do ballet, as dançarinas não deixavam de ousar e buscar aprimorar cada vez mais sua dança em performances lindas que esbanjavam feminilidade.

Quando passei a me aprofundar nas pesquisas dessas dançarinas a primeira impressão rapidamente foi substituída por uma intensa admiração, acompanhada de um tapa na cara porque eu em pleno anos 2000 ainda não consigo fazer um cambret desse aqui oh, vindo lá das bandas de 50;

De simplista não tem  nada, não é mesmo? E acredite minha amiga, nessas décadas a maioria não tinha coreografias não, a coisa toda era na raça e na emoção, e sim,   as performances eram riquíssimas  em expressividade , interpretação e espontaneidade.

Assim, cada performance possuía uma beleza única adornada pela singularidade de  dançarinas que bem sabiam se expressar por meio da dança deixando um tesouro de aprendizado para nós. Hoje costumo dizer que essas danças do passado são um deleite  para os olhos de quem sabe admirar e respeitar o modo de dançar característico de cada época.

É simplesmente impossível conhecer estas dançarinas e não  perceber que no percurso histórico dessa arte não existe superiores, todas formamos uma corrente temporal que segue viajando entre o passado e o presente  remontando a dança do ventre em nosso próprio tempo para também servirmos de base para o futuro.

Na verdade se prestarmos bem atenção  cada época representa uma fase da própria arte já que a meu ver  somos nós dançarinas que transformamos e ressignificamos a dança do ventre segundo nossas vivências.

Lógico, que não se pode afirmar com certeza que a Era de Ouro é a essência da Dança do Ventre de fato, ou a época mais importante e antiga  de todas, já que se trata de uma arte com mais de mil anos, o grande dilema dos estudiosos é que não se encontra  muitos registros anteriores de como se dançava antes disso.

O que nos faz refletir em como a dança evolui a todo momento, por isso muitos acreditam que o modo de dançar  na era de ouro  já vinha de uma evolução de dança anterior.

De qualquer forma, é possível ver inúmeras semelhanças dessa época com nossa dança de hoje  provando que a evolução dessa arte teve como principal embase a Golden Age  transformando a era de ouro  em importante  raiz histórica da arte belly dance.

Por tanto, é inegável que estas mulheres simbolizam  bem mais que meras dançarinas do passado, são na realidade nossas referências vitais, para o entendimento e compreensão das origens da Dança do Ventre como arte  pertencente aos palcos e grandes espetáculos, assim como  base fundante  para o patamar técnico que temos hoje.

Abaixo você conhece algumas dessas deusas ancestrais  que com seus quadris escreveram uma linda trajetória histórica nessa dança que tanto amamos. Vamos conferir!

Mulheres a Frente de Seu Tempo

Se olharmos mais atentamente com as vistas para além de observações superficiais,  veremos na verdade, que estas primeiras dançarinas foram mulheres a frente de seu tempo. Assumiram a liberdade de Dançar o Ventre em uma sociedade muitas vezes castradora de qualquer manifestação ou expressão feminina.

E mais que isso, tiveram a coragem de  expor sua dança  nas telas do cinema por meio da industria cinematográfica egípcia, e foi a participação dessas mulheres fabulosas que muito contribuiu para o despertar da prática desta arte em outros países ao redor do globo.

 

Taheya karioka

Taheya Karioka (1919-1999)

Conhecida como Rainha da Dança Oriental ainda na década de 40 Taheya cujo nome de certidão era Abla Muhammad Karim, foi a primeira  dançarina a aparecer em numerosos filmes egípcios, oportunizando assim a entrada para outros dançarinos na almejada esfera cinematográfica.

Além de ter se estabelecido em sua época com uma atriz de cinema e estrela, altamente respeitada e aclamada pelo publico, Taheya ainda nos dias atuais é reconhecida por seu talento e por elevar a dança aos moldes da modernidade, conquistando fãs do universo belly dance ao redor do mundo. Para saber mais sobre ela clique nos links Biografia  , Video.

Samia Gamal (1924-1994) 

Samia é lembrada pela ousadia e constante sede de inovação que se refletiam em seus trajes com modelos contrários dos que eram tradicionalmente usados em sua  época, além disso, ela foi  a primeira a dançar com sapatos de salto alto.

Samia Gamal via a dança como uma ciência onde para pratica-la devia-se estudar incansavelmente. Além de se dedicar a dança Oriental ela também frequentou outras escolas de danças onde aprendeu Samba, Rumba, Tango e Rock & Roll e balé. Tanta dedicação aos estudos fez com que Samia fosse bem  sucedida na carreira artística atuando em cerca  50 filmes durante  sua vida.  Biografia, Video.

 

 Soheir Zaki era de ouro golden age vintage belly dance

Soheir Zaki(…)

 Uma das mais famosas bellydancers da década de sessenta e setenta, além de ser a primeira dançarina a fazer performances com músicas da aclamada cantora Oum Koulthoum.

Soheir tinha como marca registrada a improvisação em suas performances e chamava atenção para o excesso tecnicista na dança das bailarinas ocidentais, criando uma certa polêmica no meio ao  afirmar que: “Elas (as bailarinas ocidentais de sua época) dificilmente  atingirão o nível das bailarinas egípcias. Elas não possuem o espírito vivaz, elas não têm o senso de humor, elas não têm o ouvido musical…” Para saber mais sobre ela: Biografia, Video.

Naima Akef

 

Naima Akef (1929-1966))

Uma dançarina graciosa e de muita beleza, é assim que Naima geralmente é lembrada por seus admiradores. A moça não economizava  nas  performances   inovadoras, fortemente influenciadas por sua educação artística circense e teatral.

Soma-se aos demais  atributos de Naima sua voz angelical no canto ,o que enriquecia seu  desempenho artístico. Para saber mais sobre ela clique nos links:  Biografia, Video.

 

 

Nagwa Fouad belly dance golden age danca do ventre era de ouro vintage

Nagwa Fouad(…)

Iniciou sua carreira quando tinha apenas 14 anos, atingindo o auge de sua carreira  m 1976, quando o compositor Mohamed Abdel-Wahab escreveu a música “Qamar Arbaa-tashar” para ela.

Nagwa aperfeiçoou  suas performances, por meio de coreografias  elaboradas adicionando elementos mais dramáticos e sinuosos,  ela dizia que: ” era capaz de combinar a dança oriental de Tahiya Karioka e Samia Gamal com estilo acrobático de Na’ema criando assim um show no palco”.

Nagwa  embora fosse excelente dançarina investiu intensamente na carreira de atriz, tornando-se inclusive produtora de cinema: Biografia, Video.

 

Mona Said belly dance golden age danca do ventre era de ouro vintage

Mona Said(…)

Conhecida pelos libaneses como bronze do nilo esta dançarina é dona de um estilo peculiar  de dança, transformando cada apresentação em um oásis de interpretação em cena com movimentos perfeitamente delineados por sua energia e vigor. Não é a toa que  bailarina Taheya Carioca apelidou-a como ” a princesa do Raks Sharki”.

Para saber mais sobre ela: Biografia, Video.

 

Fifi Abdo belly dance golden age danca do ventre era de ouro vintage

Fifi  Abdo

Nascida em 1953 no Cairo, essa dançarina despontou para o sucesso na arte belly dance ainda na década de 70. Considerada por muitos como ousada para os padrões de sua cultura e de forte temperamento, é  ao mesmo tempo extremamente carismática e adepta de causas filantrópicas e humanitárias.

Fifi certamente  é um dos grandes ícones da Dança do Ventre mundial, que fez da dança seu alicerce e fortaleza na luta contra repressões de sua liberdade enquanto mulher. Esta bailarina esbanja toda sua determinação seja nos palcos com seu quadril fabuloso, seja mundo dos negócios. Para saber mais clique : Biografia, Video.

Aida Nour belly dance golden age danca do ventre era de ouro vintage

belly dance gold

Aida Nour

Nascida em  Alexandria, Egito, Aida iniciou sua  carreira na dança quando ainda era muito jovem, começando seus trabalhos com grupos folclóricos egípcios se tornando membro do famoso grupo Reda no Cairo, posteriormente por volta de 1981 começou a atuar em solo fazendo bastante sucesso se tornando uma artista bastante amada e popular.

Esta majestosa bailarina está a todo vapor e se mantém na ativa artista   ministrando workshops e oficinas para demais artistas do mundo belly dance. Para saber mais sobre ela clique nos links- Biografia, video.

 

Bom, vou ficando por aqui, lembrando que ainda tem muito mais bailarinas, exemplifiquei apenas algumas, espero que tenham gostado.

Belly beijos e até a próxima belly aventura!!!

Texto de Aziza Zayn

 

10 comments

  1. Gesiane Ramos 8 maio, 2016 at 21:47 Responder

    Que post maravilhoso adorei saber um pouco mais da história da dança do ventre, não vejo a hora de ter um tempo para dança.

  2. Erika Monteiro 7 maio, 2016 at 22:51 Responder

    Oie, tudo bem 🙂 Quantas informações sobre dança do ventre hein Cada vez gosto mais dessa modalidade. Minha irmã tem treinado bastante, ela dança tão bem. Pena que eu mesma não tenho talento pra isso haha Beijos, Érika <3

  3. Ana Paula Silva Crispim 7 maio, 2016 at 20:24 Responder

    Eu encanto quando estou neste cantinho, viajo horas e horas imaginando tudo isto e fico agradecida por este espaço tão diferente que outros. Abraços

  4. Iarima Peixoto 7 maio, 2016 at 12:31 Responder

    Que post incrível e bem escrito! Acho a dança linda, meu sonho kkkk que mulheres maravilhosas… Muito bom conhecer melhor sobre… Bjs

  5. Juliana Araújo 7 maio, 2016 at 11:18 Responder

    Nunca pensei em usar o termo “habibas”, que legal 😀 Achei interessante seu Post, nunca pensei em como seriam as bellydancers que se destacaram em tempos passados, só focava nas dançarinas da atualidade. Só pelas fotos deu pra se ter um gostinho de como era a cultura e a forma de se expressar no tempo de cada uma, cada qual com sua individualidade, e as descrições, o texto comentando cada uma delas estão bem produzidas, parabéns. Beijos!

    http://www.juhlihipy.com

  6. Luiza Alexandre 6 maio, 2016 at 20:15 Responder

    Acho lindo a dança do ventre , porém não sei dançar.
    Acho que as indianas também dançam né?

    Minhadoceangelita.blogspot.com

  7. Sara Miranda 6 maio, 2016 at 17:00 Responder

    Boa observação! Nesse tempo existia uma grande limitação do que a mulher poderia, ou não fazer, e elas com certeza foram mulheres a frente de seu tempo. Eu sou uma grande amante da dança do ventre, sempre que posso estou dançando e praticando o que sei! Gostei muito de saber um pouco sobre a historia da era de ouro, é muito interessante.
    A Samia e a Taheya eram lindas, e ótimas dançarias! Amei poder ver o video delas dançando.

    http://1momentoqualquer.blogspot.com.br/

  8. Isabelle Felicio 6 maio, 2016 at 16:13 Responder

    Eu achei a Samia muito bonita. Já na foto ela tem cara de ousada sabe rs rosto de quem gostava de desafios e coisas diferentes. O legal é que há história em tudo ♡ É muito legal aprender coisas diferentes.

Leave a reply