Aprenda a dançar

Expressão Facial na Dança Com que cara eu vou?

Um dança não é constituída somente por movimentos vindos de processos automáticos do corpo, é essencialmente constituída daquilo que não se pode ver a olho nu, ou seja, nossas emoções, sentimentos e até mesmo alma.

Assim, nossa expressividade se revela poderosamente quando a dança emerge do nosso mais profundo ser orquestrando a harmonia perfeita e indissociável entre o aparente e o invisível.

Nesse sentido, cada movimento, articulação e fibras musculares do seu corpo precisam estar conectados a sua emoção, aos seus sentimentos.

A falta dessa ligação é denunciada principalmente pela nossa fisionomia, por isso, vamos falar hoje de  expressão facial,  que é um dos pilares para que nossa dança seja verdadeiramente expressiva e capaz inclusive de tocar profundamente o coração do publico, criando um elo envolvente entre o dançarino e quem o assiste.

Mas por qual motivo a expressão facial é tão significativa na dança?

A expressão facial  pode adornar de diferentes maneiras nossa performance.  A nossa forma de olhar, sorrir, enrijecer ou relaxar o rosto, passam sinais para a plateia que chegam a ser  mais impactantes que os próprios movimentos.

Por isso, não esqueça! Seu rosto é tão importante quanto quadril e abdômen em nossa arte, pois, a expressão facial  é um dos mais  fortes indicativos de nossas emoções, é um dos mais importantes instrumentos de comunicação e interação humana podendo passar sinais positivos e negativos, podendo até mesmo atrair ou  repelir a atenção da plateia.

Dessa forma, a expressão facial combinada com os movimentos entra  na dança com  poder de revelar, de oferecer interpretações que inspirem, encantem, e causem as mais incríveis sensações no publico.

E mais, a expressão facial agrega vida, plenitude e essência humana tirando seus movimentos da zona da artificialidade, incutindo diversos significados a sua performance, contribuindo, para que  a real mágica da comunicação por meio dos movimentos harmonizados com a música de fato aconteça.

É possível aprender? Existem técnicas que ensinem expressão facial?

O fato é que  ensinar e aprender expressividade é um desafio e tanto, alguns dizem que ensinar expressividade é impossível já  que é algo muito particular tendo em vista que  cada pessoa  tem sua própria maneira de sentir, interpretar, e responder aos estímulos.

Mas a grande verdade é que  podemos trilhar alguns  caminhos que facilitam nessa jornada. Podemos fazer alguns exercícios que nos ajudam a reencontrar nossa expressividade natural que por vezes se perde dentro das exigências técnicas da dança.

E para tanto,  vou compartilhar caminhos que funcionaram comigo. Espero que possam ajudar você também. Vamos lá!

Seu rosto inevitavelmente irá transparecer o que você sente

Primeiro de tudo você precisa entender  que o que  você estiver sentindo e até pensando ficarão evidentes em sua expressão.

Nossas emoções transparecem em nosso rosto, ainda que não percebamos ,por isso, o importante não é que cara você deve fazer é o que você deve sentir.

Eu por exemplo, ficava de olhões arregalados principalmente em coreografias que não eram meu forte e me faziam sentir insegura, vez ou outra, eu  fazia uma  cara de quem acabou de acordar de um pesadelo, mas na verdade eu estava só tentando lembrar a sequência.

Como se isso não bastasse, a preocupação com a técnica  me exigia muita concentração afetando a  conexão como minhas emoções.

Assim, eu não me entregava a minha dança, meus pensamentos estavam centrados em tanta coisa, na execução correta disso e daquilo e até mesmo no que estariam pensando de mim.

Minha mente mergulhava no profundo abismo das inquietações onde o único sentimento que vinha a tona era o de preocupação, o que acabava por travar toda minha expressão facial com sentimentos de total angustia interior.

Para tentar amenizar a situação resolvi seguir a dica de sorrir o tempo inteiro até em melodias dramáticas e aí, a coisa foi pior.

Minha expressividade além de ficar artificial ainda me deixava com a boca seca de maneira que eu quase não conseguia desfazer o sorriso congelado depois da apresentação.

Nessa saga de descobrir minha expressividade adotei  a cara de dor de barriga e também não funcionou, ainda mais quando tocava aquele taksim.

Acredite, o resultado foi a somatória de  olhos arregalados com cara de dor de barriga ou sorriso forçado. Dá para imaginar o desastre?

Depois que descobri o quanto os sentimentos afetam a nossa expressão facial na dança, as coisas começaram a melhorar.  Segui na busca de encontrar minha calma interior e a pensar positivamente buscando uma conexão mais profunda e significativa entre a música, a dança e eu.

Hoje quando estou dançando tento me conectar com a música e não com preocupações externas advindas de minhas inseguranças.

Foi incrível como esses pequenos gestos melhoraram muito minha expressividade, vai por mim, dançar com um coração, entregue e cheio de amor é algo que naturalmente se nota NA CARA e o contrário também!

A música  exerce uma influência poderosa na sua expressividade

Um ponto realmente importante é a escolha da música. Para nossa expressão facial vir a tona com naturalidade precisamos sentir a música em sua plenitude e não somente ouvi-la.

Lembre-se, que quando dançamos  a melodia está conversando conosco, por esse motivo, é importante ter sensibilidade e dançar músicas que te dizem algo que você consiga transmitir.

Assim, opte por músicas que tocam seu coração, alcançam  suas emoções e tenha um significado para você. Dessa forma, será mais fácil dançar livre e entregue aos seus sentimentos.

Exercite sua expressividade e não somente técnicas de movimentos

Nosso maior erro enquanto dançarinas está em focar nossos treinos somente nas habilidades tecnicistas voltadas para o movimento do corpo esquecendo da expressividade advinda de nossas emoções.

E é assim, que nossa dança vai ficando sem alma, sem brilho, sem sentido para nós mesmos ou no pior dos casos sem identidade.

Nos tornamos bailarina mecanizadas que no lugar de encantar e tocar corações, entediam. É importante buscarmos o equilíbrio incluindo em nossos  estudos técnicas de interpretação.

Precisamos encontrar meios para exercitar nossa  sensibilidade e emoção de modo que se harmonizem  com as técnicas do movimentos corporais, assim,   uma habilidade não sufoca a outra.

Se você ainda tiver vergonha de esboçar exercitar sua expressividade facial  na aula reserve um tempinho em casa para treinar com liberdade, permitindo assim, que sua essência interpretativa  aflore externalizando naturalmente suas emoções em seu rosto.

Com exercícios e liberdade você terá mais desenvoltura adquirindo  segurança para se desbloquear .

Isso é muito importante, pois levamos para o palco o que fazemos na sala de aula, por isso se esforce, não tenha medo nem vergonha de suas amigas e professoras. Se você vencer o medo delas vencerá o medo diante do publico.

Dicas de exercícios para Expressividade na dança

Dançar  é também atuar e dependendo da letra da música ou contexto coreográfico pode existir ali um personagem que pode ser visto através de você, por isso é importante que trabalhemos o poder da interpretação.

Interpretar ao meu ver não é fingir que se é alguém ou uma coisa, é ser no momento que é pedido! E ali naquele momento no palco, você tem que ser o que a música diz que você é, tem que sentir o que a música diz que você sente. Eis aí um desafio que necessita de muita alma e desprendimento, mas a gente chega lá!

Para facilitar seu treino

FAÇA JOGOS DE IMITAÇÃO, BRINQUE DE MIMICA COM SUAS AMIGAS, ENCENE OU FAÇA NA REAL  UM ENSAIO FOTOGRÁFICO FAZENDO CARAS E BOCAS OU PARTICIPE DE PEÇAS TEATRAIS.

A- pegue sua escova de cabelo faça de microfone e duble o Fadel Shaker cantando Ya Ghayeb … se não tiver Fadel serve a Shakira se imagine em um palco e arrase na interpretação!

B- Escolha uma música bem triste (que vc goste), dance uma dor da sua história de vida, se joga na sofrência e vai.

C- Para se recuperar da sofrência pegue uma música alegre e dance sua felicidade,sua festa seu lado criança.

D-Pegue uma trilha sonora de filmes (Piratas do Caribe, 300 )Dance sentido-se a guerreira, a invencível a destemida, a toda poderosa, a rainha de um reino exuberante e manda ver .

Estas são só algumas das infinitas possibilidades de exercícios para trabalhar sua expressividade na dança.Garanto que além de divertido você estará treinando sua percepção de humor das músicas assim como aprimorando sua  sensibilidade cênica.

Por hoje vou ficando por aqui, espero que o post tenha sido de utilidade para você, muito obrigada pela companhia e bons treinos!

No video abaixo temos um treino com os sentimentos tristeza e perda…


Aziza texto Zayn

Ilustrativa foto> de Bailarina Darina Konstantinova

 

TagsPalco

1 comment

  1. Rodrigues Flamenca 23 abril, 2017 at 22:48 Responder

    Dei muita risada lendo e me vendo nesse post, minha primeira vez dançando foi exatamente assim, sorri tanto que os lábios secaram e não consegui fechar o sorriso kkkk. Parabéns pelo excelente post

Leave a reply