Fotografia

Fotografar Dança do Ventre é traduzir a alma da bailarina em imagens

Que bailarina de dança do ventre não deseja ser fotografada por um profissional que transforme cada movimento em uma bela obra de arte? A maioria não é mesmo?!

Sim, a maioria de nós deseja um fotógrafo que tenha nas lentes um olhar atento para os melhores momentos de nossa performance e que consiga assim extrair imagens impressionantes eternizando  nossa arte por meio de cliques espetaculares.

É por isso, que hoje vim te convidar a conhecer o lindo trabalho do Mariano Francisco, um fotógrafo de Buenos Aires, responsável pelos mais surpreendentes cliques  que fazem dele  referência para diversos bailarinos e bailarinas argentinas.

Particularmente fico encantada com as imagens  capturadas pelo olhar criterioso e assertivo do Mariano, as fotos feitas por ele mais parecem pinturas, obras de arte majestosas e dignas de apreciação. Seus cliques de tão certeiros passam a impressão de terem sido combinados com as dançarinas como se elas estivessem congeladas no tempo para posar para suas lentes.

O Mariano simplesmente domina a técnica de fotografar performances, e além disso, coloca toda sua essência e emoção no momento de seus registros tornando-se não somente um excelente profissional da fotografia, mas um perito em fundir a beleza da arte da fotografia  com a arte belly dance.

Então, quer conhecer mais sobre o talento do Mariano e como ele consegue fazer fotos maravilhosas? Vem com a gente nessa entrevista repleta de dicas e cliques fenomenais.

BM – Como você começou a fotografar performances belly dance?

Mariano – Comecei a atuar nesse ramo no ano de 2010 como fotógrafo de casamento, estúdio e materiais publicitários.

No ano de 2014 foi que a verdadeira mágica aconteceu e o que já era bom em minha vida tornou-se ainda mais prazeroso.

O ano de 2014 foi a época em que minhas lentes se voltaram apaixonadamente para o universo de extrema beleza que a arte da dança proporciona, não é à toa que desde 2015 é minha atividade principal dentro da fotografia.

Com a Dança do Ventre tudo começou quando tive contato com a ADS ( Arabian Dance School) a escola de dança do professor Amir Thaleb.

Este foi um marco que acendeu dentro de mim a ideia de começar a fotografar belly dancers, e assim, passei a realizar a cobertura fotográfica das performances de dançarinos.

BM – Qual seu segredo para conseguir clicks que mais parecem obras de arte? Você sai clicando aleatoriamente ou procura uma conexão com a performance da bailarina?

Mariano Eu nunca clico aleatoriamente. Acredito que boas fotos acontecem quando conseguimos nos conectar com o dançarino, quando conseguimos entender a forma da sua interpretação no palco.

Quando essa conexão acontece fica mais fácil antecipar seus movimentos e clicar no momento certo onde traduzam seu ímpeto artístico agregando beleza e expressividade nas imagens.

Para mim, fotografar dançarinos é um momento mágico, onde todo meu ser se centra e nos tornamos um. Eu olho em seus olhos para me conectar, meus ouvidos também acompanham a música que vai reger não só sua dança, mas toda minha percepção enquanto capturador de seus movimentos e emoções.

Assim, entramos em harmonia fundindo fotografia e dança, duas artes que necessitam de sensibilidade e destreza para acontecer e encantar.

BM – Quais fatores podem prejudicar a fotografia de uma performance no palco?

Mariano – Há vários fatores:

Espaço: Tamanhos, alturas e localização do palco no que diz respeito ao público e morfologia interna do teatro. Isso pode causar muitos problemas em relação a perspectiva de fotos, ou criar pontos cegos onde não é possível tirar boas fotografias.

Luz: Iluminação deficiente pode levar a um desastre fotográfico, não importa quão bom o fotógrafo ou os equipamentos sejam.

Coreografia: Nas coreografias em grupo é importante a rotação entre os dançarinos, o posicionamento de maneira que todos tenham a oportunidade de em algum momento estarem em destaque no palco para que se consiga obter belas fotos de cada um.

Para solistas, movimentos curtos, e abuso dos mesmos passos e poses de dança podem prejudicar a variedade de imagens.

BM – A iluminação no palco influencia na qualidade fotos? Quais dicas você daria para os organizadores, fotógrafos e dançarinas usarem a luz a seu favor?

Mariano – A qualidade da fotografia é diretamente influenciada pela iluminação. Inclusive “fotografia” significa desenhar com luz, ou seja, a luz é essencial nesse assunto.

Assim, é importante que os organizadores do evento estejam atentos a esse fator uma vez  que a qualidade óptica das fotografias depende 90% de boa iluminação, já o enquadramento e criatividade dependem apenas do fotógrafo.

O ideal é que o iluminador utilize uma luz de fundo luz suave para desenhar a silhueta do dançarino e assim obter uma atmosfera íntima com algo para ver.

Já para os fotógrafos, a dica é sempre priorizar VELOCIDADE, eu recomendo que trabalhem para com grandes aberturas, f 2.0, sempre que possível.Talvez isto leve a sacrificar alguma qualidade óptica se o cenário não tem boa iluminação, mas vai capturar melhor os momentos, e para mim isso é o segredo da boa fotografia.

BM – Quais os maiores desafios de fotografar performances no palco?

Mariano Certamente é  traduzir a alma do bailarino em imagens, já que todo mundo tem seu próprio estilo, e assim, não dá para padronizar sua percepção fotográfica. Nesse sentido, o lado humano é sempre mais desafiante do que a técnica.

BM – Existe algum tipo de bailarina que facilita a fotografia, ou tudo depende do fotografo?

Mariano – É evidente que há quem consiga expor seus sentimentos adornando sua performance com movimentos e poses elegantes, esses sem dúvida facilitam a fotografia. Há também bailarinas que eu conheço o estilo e isso facilita o trabalho.

Toda energia que se sente, todo  entusiasmo, amor, interesse e criatividade são o combustível para fotos impressionantes, esse conjunto de fatores é que torna o trabalho tanto da dançarina quanto do fotografo primoroso.

BM- Bom chegamos ao final dessa entrevista maravilhosa.  Posso dizer que  fiquei muito mais fã, já não somente pela fotografia, mas pela simpatia, de pessoa que ele é, sempre atencioso,humilde, educado e solicito.

Ao entrevista-lo consegui perceber a essência do seu profissionalismo e o  quanto ele é apaixonado pelo que faz, tendo muito zelo e cuidado tanto nas fotos de estúdio quanto de palco onde seu principal objetivo  é conseguir que toda dançarina clicada por ele tenha fotos dignas da arte que tanto ama.

Espero que você também tenha gostado e se inspirado com esse grande talento da fotografia belly dance, forte abraço e até a próxima aventura.

Para seguir o Mariano nas redes sociais basta adiciona-lo no Facebook  Clicando Aqui.  Abraços e até a próxima aventura.