Publicações

Praticar Musculação faz perder a Flexibilidade na Dança do Ventre?

A Dança do Ventre é verdadeiramente repleta  de benefícios e sempre foi minha grande aliada no que se refere a manter a forma, mas embora praticar a arte me fizesse um bem danado   eu sentia  que    não era suficiente para dar aquela potencializada na silhueta do jeito que eu queria, foi então que em agosto deste ano resolvi associar meus treinos de dança  com a musculação.

Ao conversar com algumas amigas de dança sobre a musculação percebi que existe uma série de dúvidas sobre a prática simultânea de Dança do Ventre com Musculação, a maior delas diz respeito a flexibilidade. Muitas amigas acreditam que a musculação enrijece o corpo a ponto de diminuir a flexibilidade tão necessária para a arte belly dance.

Para dar uma clareada nesses questionamentos que assolam nossa mente bellymaníacas  resolvi chamar a Carla Basílio que também já praticou Dança do Ventre e é uma autoridade no assunto musculação sendo inclusive autora do blog GUIA DA BOA FORMA. Então, vamos lá.

————————————————————————————————————————————

  1. BM – A Flexibilidade é elemento essencial para dança do ventre por isso o alongamento antes, após e até durante as aulas são rotinas comuns e tidas como indispensáveis, o que percebo é que isto não ocorre na musculação. Por isso surge a dúvida: praticar musculação acarreta em perda da flexibilidade?

——————————————————————————————————————————–

GBF—> Não! Praticar musculação não acarreta em perda da flexibilidade, a não ser que você faça movimentos encurtados. Por outro lado, se você fizer os movimentos com boa amplitude, a musculação ajuda a ter mais flexibilidade.

Em outras palavras é a maneira como você pratica a musculação que pode influenciar no fator flexibilidade, como por exemplo:

É muito comum as pessoas abrirem mão da amplitude para pegarem muito peso, peso que na verdade não aguentam. Algumas mulheres colocam uma carga elevada no Leg Press, mas descem muito pouco. Além de trabalhar o músculo de forma incompleta, e é esse tipo de atitude que compromete a flexibilidade.

errtt

Leg Press

 

Trabalhar a máxima amplitude nos seus treinos de musculação além de favorecer a flexibilidade, é um dos fatores mais importantes para hipertrofiar (desenvolver) os músculos, especialmente o glúteo máximo, que dá volume ao bumbum.

Para fechar essa questão, vou dar o exemplo de 2 exercícios muito interessantes, que ajudam bastante na flexibilidade.

Treinos de musculação que Favorecem a Flexibilidade

Um deles é a “Tesoura”, exercício para os adutores (aquela parte da perna que é mais difícil ficar durinha). Nesse, o próprio peso favorece a amplitude do movimento, graças à força gravitacional. E se favorece a amplitude, favorece também a flexibilidade.

O segundo é o Stiff, exercício para glúteos e posterior de coxa. Para o stiff ser eficiente, você não precisa sentir dor, precisa sentir alongar os músculos da parte de trás da perna. Portanto, realizar o exercício de maneira consistente por si só vai ajudar a pessoa a se tornar mais flexível.

praticar-musculacao-faz-perder-a-flexibilidade-na-danca-do-ventre

Tesoura e Stiff

A falta de flexibilidade não é ruim só para praticantes de dança do ventre, mas para as pessoas de forma geral. Inclusive, para as mulheres especificamente, esse é um dos 7 motivos pelos quais o bumbum não cresce, mesmo que a pessoa treine de forma consistente.

É algo que explico melhor nesse artigo, que virou praticamente “A Bíblia do Bumbum”, caminhando para 40 mil compartilhamentos.

————————————————————————————————————————————

  1. BM – Posso praticar a Dança do Ventre simultaneamente com a musculação? Quais os benefícios? Que cuidados tomar? Pode ser no mesmo dia ou em dias alternados?

—————————————————————————————————————————————

 

GBF— Você pode conciliar as duas atividades sim, sem problemas. Só têm algumas questões que acho importante falar.

Primeiro, você já reparou como atletas de diferentes modalidades sempre praticam musculação?

Isso acontece porque treinos de força podem melhorar sua performance em qualquer atividade aeróbica, já que o trabalho de força age principalmente como fator protetor das articulações.

As articulações são envolvidas por músculos, por isso que, quanto mais fortalecidos, melhor vão atuar na estabilização das mesmas.

Isso pode evitar uma série de lesões, especialmente nas articulações dos joelhos, quadris, tornozelos, punho e etc. Articulações que são bastante usadas na dança do ventre, não é mesmo? 🙂

Além disso, vale falar sobre a questão do alongamento.

Para melhorar a flexibilidade, evite alongar a musculatura que você acabou de treinar. O alongamento da musculatura recém exercitada é apenas para relaxar, já que as fibras musculares estão fadigadas.

Nessas circunstâncias, se o alongamento for feito explorando o máximo da flexibilidade, pode gerar uma lesão.

É um tema muito controverso, mas eu particularmente sou contra alongar antes da musculação e a favor depois, com essa ressalva.

Por exemplo: se você for alongar membros inferiores no intuito de melhorar a flexibilidade, faça isso no dia que não treinou pernas e glúteos, ou no mínimo evite alongar muito logo após o treino.

Ou seja, se você faz musculação e em seguida faz dança do ventre, precisa se atentar a isso. No caso, como tem muito alongamento nessa dança, o ideal é fazer as atividades em horários ou dias diferentes. Se não for possível, tente alongar menos, apenas para relaxar a musculatura e faça o alongamento mais intenso em outro momento.

 

  1. BM- Quais os tipos de series e exercícios mais indicados para quem pratica dança do ventre mediante cada objetivo? (hipertrofia, perder peso, definir, etc). É o instrutor que avalia? Preciso falar para o instrutor que pratico dança do ventre?

 

GBF— O ideal é sempre conversar com o instrutor, pois ele vai montar um treino de acordo com a individualidade de cada pessoa. Mas independentemente do objetivo – hipertrofia, perda de gordura ou ambos – intensidade é sempre o fator mais importante do treino de musculação.

As mulheres tendem a confundir treino intenso com treino volumoso. Não é preciso passar horas e horas na academia para ter bons resultados, muito pelo contrário.

O ideal é que o treino não passe de 1h. Afinal, não é possível fazer um treino verdadeiramente intenso por muito tempo.

Vale dizer ainda que a musculação é a atividade mais indicada para quem quer emagrecer. É contraintuitivo isso, mas exercício eficiente para perder gordura é o que gera modificações hormonais pra isso, não o que faz você gastar mais calorias.

A prática da musculação aumenta naturalmente a produção de hormônios anabólicos, como testosterona e gH, ambos importantíssimos para a hipertrofia, emagrecimento e para a saúde no geral.

E além disso, quanto mais músculos você tem, mais acelerado é seu metabolismo basal. Ou seja, mais calorias você gasta, mesmo em repouso.

Neste artigo, eu explico melhor por que musculação e emagrecimento foram feitos um para o outro. Dou 7 bons motivos para isso.

Também tenho um ebook gratuito com minhas 5 dicas exclusivas para um treino rápido, intenso e altamente eficaz. Depois de ler e aplicar essas dicas, você vai ver a musculação com outros olhos, tenho certeza. 🙂

Para fechar esse tópico, eu acho importante sim falar com o instrutor que você pratica dança do ventre, assim ele pode passar exercícios voltados para os pontos que você deseja melhorar, como equilíbrio, força, agilidade e até mesmo a flexibilidade.

A tendência é que, ao praticar musculação, você melhore consideravelmente seu desempenho na dança do ventre, bem como nas atividades do dia a dia.

Convido suas leitoras a conhecerem meu blog, o Guia da Boa Forma, e espero ter esclarecido as dúvidas. 🙂

  • Tem uma coisa curiosa no seu post, você trouxe em seu blog uma autoridade sobre musculação. Acho que o conceito de autoridade está distorcido. Um mera praticante e curiosa sobre o assunto não pode ser considerada um autoridade no assunto. No máximo uma WebCelebridade! Autoridade é necessário formação, estudo, pesquisa científica séria, impacto na comunidade de estudioso. O fato de ler sobre fisiologia cardiovascular e ter sofrido do coração não me faz uma autoridade no sentido de opiniões relevantes sobre o universo da cardiologia. Pense Nisso.