Inspire-se

Nathália Novaes a Belly Dance Plus Size que Encantou no Mercado Persa

Ela é de bem com a vida e encantou geral nessa edição do Mercado Persa, estamos falando da mais nova revelação belly dance de Taboão da Serra (SP) a queridíssima Nathália Novaes.

Dançarina de peso que não deixa a desejar nas técnicas belly dance,  já desponta  arrasando no quesito auto estima e superação de padrões, não é a toa que está inspirando bailarinas nos quatros cantos do Brasil.

Digno exemplo  de auto aceitação e de que a Dança do Ventre pode e deve ser praticada independente da forma física, assim foi, a performance de Nathália em uma das  competições do Mercado Persa que merecidamente lhe rendeu o primeiro lugar na categoria solo amador golden, onde esboçou toda sua segurança, técnica apurada e movimentos riquíssimos além de muita simpatia e expressividade arrebatando os corações do publico presente.

nathalia novaes entrevista

Ela não poderia deixar de ser destaque do mês aqui no Bellymaníacas, então conheça um pouco mais da  Nathália, que é um amor de pessoa e tão gentilmente nos concedeu essa entrevista.

BM- O que te moveu a competir no Mercado Persa?

Nathália- No mercado persa do ano passado estava competindo com grupo moderno e dupla fusão, não ganhamos nada. Mas eu assisti essa nova categoria que era do solo amador Golden e me interessei muito. Primeiro que era só para pessoas a partir dos 31 anos e segundo e mais importante que não precisava improvisar! Isso me fez ter muita vontade de dançar um solo lá.

2-BM- Como foi a sua preparação para a competição?

Nathália-Vocês vão achar que é mentira, mas ensaiei três vezes com a coreógrafa e algumas sozinha em casa mesmo. Estava com medo, pois, para o  MP  todas se preparam muito bem. Mas graças a deus deu tudo certo, afinal, quando a gente tem a dança na alma e dança por amor tudo flui!

3- BM-Você enfrentou alguma dificuldade, técnica ou emocional na hora de competir?

Nathália-Em nenhum momento tive dificuldade emocional, mas técnica tive sim, e muita! Ah , e pra colocar aquela roupa toda também,rs.

4-BM-O fato de você ser uma Dançarina Plus Size alguma vez atrapalhou sua jornada na arte, alguma vez você se sentiu insegura por esse motivo? 

nathalia-novaes-mercado-persa2

Nathália-  Gente não tenho e nem nunca tive problemas em relação ao meu peso. e eu acho que isso não poderia ser um motivo  pra  interferir no sonho e na vontade de  dançar de ninguém. Temos que ser livres, dançar aquilo que gostamos e do jeito que gostamos e o mais importante, do jeito que somos.

Penso que na dança, principalmente, na dança do ventre, tem muita gente tentando ser  igual a todo mundo e não aceitando quem é de fato. Tem muita coisa padronizada seja dançando, na forma de se vestir, na forma física e até mesmo na forma de se expressar.

5-BM- Em relação a prática da Dança do Ventre você já sentiu ou presenciou Dançarinas Plus Size sofrer algum tipo de preconceito tanto fora quanto dentro do próprio meio belly dance?

Nathália- Então, percebo que as próprias dançarinas plus size acabam não se expondo muito nesses eventos e como nunca sofri o preconceito  é difícil me aprofundar nesse tema. Mas penso que a coisa toda as vezes parte  da própria dançarina  colocando a barrigueira para não mostrar muito as gordurinhas. Ano passado dancei com isso também e esse ano decidi que iria celebrar a liberdade de ser quem sou e dancei sem.

6-BM-Você pretende se profissionalizar em Dança do Ventre? Quais seus sonhos com essa arte?

Nathália-  Participar do mercado persa foi uma motivação para investir em profissionalização. Ainda não sei dar aulas desse estilo de dança , mas tudo na vida de uma dançarina é superação, assim pretendo me capacitar ainda mais para atingir esse objetivo. Quanto aos sonhos com a dança, ir para o Egito seria ótimo.

7-BM -Que dicas você daria para dançarinas que pretendem competir ano que vem no Mercado Persa?

Nathália– Não tenha medo,  seja você mesmo o tempo inteiro! A dança só é verdadeira quando você passa aquilo que realmente significa para você. Ensaie bastante, mas não a ponto de não aguentar mais ouvir a música depois. A música tem que ter a ver com você e  lembre-se sempre da verdade que tem que ser passada para o público.

Entrevista por: Aziza Zayn

Contato da Nathália no Facebook–Clique aqui—

Snapchat- Nathysouldance

16 comments

  1. Wendyel M. Borin 18 abril, 2016 at 21:06 Responder

    Que demais, Aziza!
    A coragem da Nathália em se aceitar independente de padrões existentes é o mais fantástico.
    Ela é exemplo para muitas outras meninas se acharem lindas independentes do que os outros pensam.
    E realmente ela dança muito bem.. confesso que não entendo muito sobre, mas adorei 🙂

    http://tecidodoce.com/

  2. Sarah Rayssa 17 abril, 2016 at 23:41 Responder

    Que maravilhosa! Tanto pela dança quanto pela atitude de não seguir padrões. Ela escolheu a dança pela arte, pela liberdade, pela beleza e isso sim é lindo! O triste são as pessoas terem preconceito só pela forma física dela. Ela dança lindamente, tem a minha admiração! Parabéns Nathália 🙂

    Beijinhos,
    Sarah :33 http://pequenomundodesarah.blogspot.com.br/

  3. Valéria de França 17 abril, 2016 at 13:36 Responder

    Eu gosto muito de dança, se eu assisto filmes musicais já tenho vontade de sair dançando pela rua kk sinto saudades do tempo que fazia jazz, ballet e sapateado *-* E é muito bom ver as pessoas se encontrando na dança e superando preconceitos, parabéns! Transmita a ela minha admiração! Beijos :*

  4. Erika Monteiro 16 abril, 2016 at 14:53 Responder

    Oie, tudo bem 🙂 Que história mais linda. Com certeza para fazer algumas coisas como essa precisa ter muito amor próprio e coragem. Eu sou bem tímida, acho que não teria coragem de mostrar a barriga haha Minha irmã dança, e é muito bonito. Beijos, Érika <3

  5. Juliana Araújo 16 abril, 2016 at 12:05 Responder

    Que história linda! Vou procurar saber mais soube ela. Sempre ouvi que as bellydancers deveriam ter um abdômen bonito por causa dos movimentos da dança. Mas nunca me aprofundei nessa questão. E parece bastante óbvio que isso não é uma regra né? Vejo mais a dança do ventre como uma atividade de libertação da alma, de expressão e não necessariamente de sensualidade.
    Beijos

    http://www.juhlihipy.com

  6. Deborah Wolfgang 16 abril, 2016 at 11:44 Responder

    cara, quanta coragem! sim, pq eu não gosto nem de mostrar a barriga, quem dirá dançar na frente de um público! parabéns pela entrevista!

  7. Karolinda 16 abril, 2016 at 11:19 Responder

    Que exemplo! Pra mostrar pra todo mundo que tem medo de fazer dança por estar ‘fora de forma’ que não existe ‘fora de forma’ e tudo que é feito com o coração é recompensado.

  8. Jessica Bottari 15 abril, 2016 at 19:24 Responder

    É muito bom ver histórias de pessoas que não deixam os “padrões de beleza” influenciarem suas vidas. E ela dança muito bem. Mereceu o prêmio!

Leave a reply