Aprenda a dançar

Dançando sem perder o Fôlego- Respiração Correta

Se tem uma coisa que toda bailarina de Dança do Ventre precisa saber é que a respiração esta  profundamente relacionada com  o movimento, sendo assim,  pode influenciar na qualidade técnica e expressiva de sua dança.

Logo, dançar  exige uma boa eficiência respiratória para uma melhor efetivação  e desempenho. A respiração também  atua sobre a postura da bailarina uma vez que esta relaciona-se com o diafragma, costelas, vértebras dorsais e abdômen.

Nesse sentido uma respiração inadequada pode não somente prejudicar a performance artística como também causar dores na coluna.

respiração deficiente provoca uma queda substancial na qualidade da dança. O desgaste na dança se torna maior porque os músculos ficam tensionados e o equilíbrio e a sustentação do corpo são prejudicados. (Scarlet).

O que muda em nossa respiração quando dançamos?

Nos nossos movimentos diários e habituais o processo de respiração é controlado automaticamente, já quando nos movimentamos de forma continua e em velocidades distintas como por exemplo no ato de correr, pular e dançar, nossa respiração se alterar buscando se adaptar para conseguir oxigenar nosso corpo.

O corpo sem oxigênio, faz com que os músculos produzam ácido lático o que irá cansar o músculo mais rápido, e levar a dor ou cólicas ou cansaço extremo acarretando em um estado ofegante a ponto de lhe deixar de boca seca e sem conseguir falar, que dirá fazer um movimento  centrado de forma correta.

mediante tudo isso a pergunta que não quer calar é: Como respirar corretamente ao dançar?

RESPIRANDO GIF

 O ideal é que ao treinar sua dança você deixe sua respiração fluir naturalmente, sem bloqueá-la, porque deixando de respirar você tensiona os musculos, perde a flexibilidade e também a levesa.

É importanta prestar atenção na sua calma interior, e se você não está deixando de respirar na execução dos movimentos principalmente em movimentos impactantes e sequencias vigorosas onde costumamos sem perceber prender a respiração cortando bruscamente a oxigenação do corpo que para se recuperar faz um maior esforço deixando você cansada mais depressa.

Segundo Reich, citado por Gama & Rego (1994),  respirar menos significa menos oxigênio disponível para os processos vitais, significa menor mobilidade torácica e abdominal, menor consciência de si e menor contato com a própria pulsação.

No caso da Dança do Ventre a  música árabe é muito rica em ritmos possibilitando a  escolha de determinados momentos  para descansar, principalmente nas partes lentas.

Nesse momentos rítmicos procure  oxigenar bem o corpo, isso também é uma forma de exercício  principalmente na modalidade derbake, pois nessa modalidade oxigenação é TUDO, acredite cansada e ofegante o shimmie trava mais que cd riscado e sua percepção corporal fica afetada.

De acordo com Patricia Garcia Leal com o “desenvolvimento de uma respiração mais livre, ampla e consciente é o que faz com que o intérprete  torne-se mais apto à expressão artística”.

É importante saber que ao dançar não estamos somente aprendendo novos movimentos mas ensinando ao nosso aparato respiratório um novo padrão de comportamento, então bailarinas a saibam que sua calma  interior e sua concentração  vão ter um papel fundamental no controle respiratório.

Vale ainda ressaltar que a respiração também está ligada a emoção por isso que em uma apresentação o cuidado deve começar desde os bastidores pois  o nervosismo e a ansiedade podem alterar seu padrão respiratório de forma negativa.

Quando estamos com nervoso também tendemos a bloquear a respiração sem perceber, dificultando a oxigenação.

Dicas Extras

Aproveite o alongamento corporal que antecedem as aulas  para exercitar e controlar a respiração não esquecendo que para isso, é necessário aprender  respirar corretamente.

Para aprender a respirar corretamente temos dicas maravilhosas no segundo vide-o ao final do post onde tem uma aula interessante ensinando como respirar corretamente pelo diafragma.

Obrigada pela sua visita…e volte sempre!

Texto de Aziza Zayn

Referências: www.bibliotecadigital.unicamp.br

www.dançamoderna.com.br